Projeto da UCPel é alicerce a Plano de Atenção aos Imigrantes da Prefeitura de Pelotas

Viabilizar a integração social e a inserção no mercado de trabalho dos imigrantes em Pelotas são alicerces do Grupo de Estudos em Políticas Migratórias e Direitos Humanos (Gemigra) da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), criado há três anos, a partir da chegada intensa de imigrantes à cidade, principalmente senegaleses. O trabalho realizado nesse período, com levantamento de dados, diagnóstico, mapeamento e estatísticas em torno desse público, deram corpo ao Plano de Atenção aos Imigrantes, lançado pela Prefeitura de Pelotas na última sexta-feira (22), com o objetivo de proporcionar melhores condições de vida aos estrangeiros. Depois de reuniões entre a Secretaria de Justiça Social de Pelotas com o Gemigra, o plano foi lançado para acolher e promover uma boa integração entre os senegaleses com a cidade, dividindo a iniciativa em três eixos: ação social, cultura e oportunidades. Segundo dados do grupo, 50 senegaleses moram hoje no município. Todos são homens, com idades entre 15 e 20 anos, atuando principalmente no comércio informal. A maioria dos trabalhadores formais está inserida na construção civil. Como falam Wolof, muitos acabam tendo dificuldades com a língua portuguesa.A intenção é que o Plano de Atenção aos Imigrantes garanta, além da criação do Núcleo de Referência ao Imigrante, acesso a programas sociais através do Cadastro Único de assistência social, oficinas qualificantes, atenção à saúde pública e acesso ao restaurante popular. Já eram garantidos pelo Gemigra, em parceria com o Serviço de Assistência Jurídica (SAJ) da UCPel, o atendimento jurídico. Segundo a coordenadora do Gemigra e do Saj, Ana Paula Dittgen, o grupo é referência na região. “Passamos mais de um ano conversando com a Prefeitura para realizar esse grande passo que é a criação do plano. Já vínhamos realizando para os imigrantes há bastante tempo oficinas de empoderamento, cultura brasileira e direitos”, pontua.Do ponto de vista cultural, o Executivo garantirá a participação dos senegaleses na Mostra Cultural Africana no Dia do Patrimônio, que ocorre entre os dias 19 e 21 de agosto, além de propor um espaço para exposição de artesanato no Mercado das Pulgas. Os avanços sociais oferecidos aos imigrantes serão ainda mais impulsionados com a parceria do Gemigra e o Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), que promoverá aulas de português e informática aos senegaleses, já em agosto. Já na área das oportunidades, os senegaleses terão acesso à abertura de vagas na construção civil, numa iniciativa conjunta da prefeitura e empresas do setor privado, em obras de infraestrutura do município.Segundo a coordenadora do Gemigra, Anelize Maximila, condições mais dignas de vida são o principal pedido dos senegaleses. “É comovente. Entre os principais relatos, estão o de poder viver em paz, sem ter que fugir por causa da informalidade. Eles estão aqui para brindar uma melhor condição à família, enviando dinheiro ao país de origem. Todos têm uma grande força de trabalho”, constata.Assistência JudiciáriaOs imigrantes têm um dia específico para atendimento de assessoria jurídica na UCPel, sempre nas terças-feiras, das 14h às 16h30min. Os telefones para contato do Serviço de Assistência Jurídica são (53) 2128-8071 e (53) 2128-8076. O SAJ está localizado na Rua Anchieta, 1.274 (Prédio Santa Margarida).foto da notícia