Crime real é fio condutor de Júri Simulado no Foro de Pelotas

O Júri Simulado realizado no Foro da Comarca de Pelotas, na tarde da última quarta-feira (24), aprofundou os conhecimentos dos acadêmicos do curso de Direito da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). A atividade proposta pela XI Semana Acadêmica utilizou um caso de homicídio real, cujo julgamento foi protagonizado pelos alunos da Universidade. Motivados pela edição do ano passado, os organizadores da Semana Acadêmica, em parceria com a Liga Acadêmica de Ciências Criminais (LAAC/UCPel), organizaram mais uma simulação do gênero. O júri contou com a participação de 17 acadêmicos, que ocuparam suas respectivas funções de juiz, promotor de justiça, jurados, assistente da acusação, advogado de defesa, assistente de defesa, réu, testemunha, oficial de justiça, escrivão e guardas. Os jurados foram os alunos que participam da Oficina de Dinâmicas Processuais, ministrada pela professora Ana Regina Martins. Dos 25 acadêmicos presentes, sete foram sorteados, conforme protocolo de um júri real.Para o diretor do Foro de Pelotas e professor da UCPel, Marcelo Cabral, a experiência de participar de uma sessão de julgamento no próprio lugar onde se julga o acusado é um conhecimento único e proveitoso, pois a prática traz uma qualidade de informação ao acadêmico que ele não esquece. O docente ainda destaca que nesse caso, os próprios alunos fazem o júri estão vivenciando cargos que futuramente possam vir a ocupar. “Uma coisa é a informação em uma aula teórica, outra coisa é vir num julgamento e vivenciar as coisas como elas estão acontecendo. Estar no lugar do outro proporciona experiência, conhecimento e sabedoria ao acadêmico”, aponta. O estudante do sexto semestre, Renan Borges, explica que eventos desse tipo favorecem o futuro profissional. Para ele, quando teoria e prática se unem, há um real aperfeiçoamento profissional. “O fato da UCPel promover atividades como esta facilitam a nossa compreensão sobre um julgamento. E ser um fato real se torna ainda mais atrativo”, conta. O casoO caso escolhido para fazer parte da atividade foi o homicídio de Jorge Alberto Pacífico Borges, de 37 anos. O crime, ocorrido em Pelotas, foi julgado neste ano. O corpo da vítima foi encontrado no lixão da cidade. O réu teria desferido um golpe que supostamente teria causado a morte da vítima, mas a defesa alega que há um lapso temporal muito grande entre a briga e a morte. A proposta de escolha desse caso é abrir a discussão sobre química forense e elaboração de laudo pericial entre os acadêmicos. Vestibular de Inverno 2017A UCPel recebe inscrições para o Vestibular de Inverno até o dia 13 de julho. São ofertadas vagas para os cursos Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Contábeis, Direito (manhã e noite), Engenharia Civil, Odontologia, Psicologia e Serviço Social. O processo seletivo será composto por uma redação com 10 datas disponíveis para a realização da prova. Mais informações estão disponível em ucpel.edu.br/vestibular.Redator: Rafaela Rosafoto da notícia