Projeto de acolhimento de imigrantes e refugiados da UCPel terá primeiro encontro em março


918  24 de Fevereiro de 2019

O Laboratório de Estudos Psicossociais Cidades Seguras e Direitos Humanos do Programa de Pós-Graduação em Política Social e Direitos Humanos (LEPS/PPGPSDH) e o Grupo de Pesquisa em Políticas Migratórias e Direitos Humanos da Universidade Católica de Pelotas (GEMIGRA/UCPel) darão início ao projeto conjunto Clínica da Interculturalidade. A primeira reunião com os estudantes selecionados via edital será aberta a interessados e ocorrerá em 14 de março, às 9h, no Prédio Santa Margarida.De acordo com a coordenadora do LEPS, professora Márcia Esteves de Calazans, o projeto tem como funções principais o suporte psicológico, cultural e a garantia de direitos à restauração de aspectos da identidade de imigrantes. “O projeto promoverá espaço de transição entre dois mundos que se aproxime da representação cultural das pessoas ali atendidas”, explica.O modelo utilizado para as abordagens se baseia em um dispositivo clínico adotado pela rede de saúde pública de Québec, no Canadá. A parceria entre o LEPS e o GEMIGRA busca qualificar os atendimentos e alcançar resultados positivos na ampliação e reconhecimento da Clínica na comunidade. “Também contribuirá à sensibilização sistemática de alguns serviços e ao espaço político ocupado em sua articulação com outras instituições, colaborando para estratégias de acolhimento e integração de imigrantes e refugiados na região sul, sobretudo em Pelotas”, acrescenta a professora.Redação: Piero Vicenzifoto da notícia