A Universidade Católica de Pelotas (UCPel) deu mais um passo rumo à inovação e integração do ensino superior ao universo da educação em plataformas digitais. Além do formato presencial, agora a universidade irá oferecer o curso de Direito EaD. A Católica é a primeira instituição de ensino superior da região a ter o credenciamento do Direito, na modalidade a distância, aprovado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) com nota máxima na avaliação. 

O anúncio feito pelo reitor da UCPel, José Carlos Bachettini Júnior, ocorre depois de cerca de dois anos cumprindo as etapas de avaliação exigidas pelo MEC e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), a fim de autorizar o funcionamento de cursos superiores. Para Bachettini o curso de Direito EaD conquistou a aprovação, assim como a nota máxima na avaliação, por se tratar de um projeto inovador e qualificado, construído pelo núcleo docente estruturante do curso de Direito, com a participação dos professores, do núcleo pedagógico e de educação a distância da instituição, validando assim a evolução pedagógica da UCPEL. “Mantemos a tradição de nosso curso presencial e criamos uma alternativa também qualificada de acesso ao ensino superior através do mundo digital, mas com o diferencial dos projetos e práticas integradoras”, comemora.

Inovação no projeto pedagógico

Segundo a diretora do Centro de Ciências Sociais e Tecnológicas da UCPel, Ana Cláudia Lucas, para conquistar aprovação do MEC e a nota 5 – avaliação máxima concedida as formações superiores, a Católica construiu um projeto pedagógico a partir  das Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Direito, atendendo as necessidades da política de educação a distância, mas com um diferencial: o foco no ensino voltado à preparação para o mercado de trabalho. O projeto inova, explica Ana Cláudia, por contemplar práticas pedagógicas integradoras, capazes de desenvolver competências, habilidades e atitudes dos alunos para enfrentarem os desafios da profissão.“ O processo de aprendizagem que está proposto dá autonomia ao discente, que terá, no professor, o apoio e a colaboração necessários ao seu desenvolvimento. É um curso, portanto,  bastante distinto, mas tão qualificado quanto o que temos na modalidade presencial”. 

A coordenadora do curso de Direito, Ana Luiza Berg Barcellos também salienta a qualificação do corpo docente da universidade como outro fator importante para o resultado positivo junto ao MEC. “Temos inúmeros professores com uma larga experiência docente com uma qualidade excelente, pós-graduados e com atuação em diferentes carreiras jurídicas”, elogia Berg ao destacar que a interação entre alunos e professores proposta no projeto pedagógico reafirma o caráter inovador do Direito EaD da UCpel.

 Da avaliação ao vestibular

A pró-reitora Acadêmica da UCPel, Patrícia Giusti, ressalta que para ter a aprovação do MEC o Direito Ead da UCPel trilhou por um longo caminho. Desde 2019 a universidade já havia passado por três etapas documentais de avaliação relacionadas ao registro do Direito EaD junto ao MEC até chegar a visita virtual realizada na última semana de junho. Até esta fase foram analisadas três dimensões: a organização didático-pedagógica, o corpo docente e a infraestrutura do curso. 

Mesmo com todas as exigências cumpridas e a aprovação,a Católica ainda não tem liberação para ofertar o Direito EaD em 2021. “Agora temos pela frente a expectativa da publicação no Diário Oficial da portaria com a autorização para funcionamento do curso, sendo que antes disso não há possibilidade de fazer processo seletivo, nem tão pouco vestibular para as 400 vagas que serão autorizadas pelo Ministério da Educação”, frisa a pró-reitora acadêmica salientando que há uma expectativa  de que o curso seja incluído no vestibular de 2022.  

Redação: Alessandra Senna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *