A nova série de lives do curso de Direito da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) vai abordar em seis encontros um dos procedimentos mais fascinantes do processo penal: o tribunal do júri. Marcado para começar nesta segunda-feira (14), às 18h, pelo canal do curso de Direito no Youtube, o primeiro encontro recebe a professora da USP e destacada pesquisadora, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer.

Um dos responsáveis pela atividade, o professor Samuel Rivero, explica que o tema foi escolhido por constituir de alguma forma o imaginário do que é o direito e a justiça para muitas pessoas. “O júri aparece muito em filmes e séries, mas pouco se discute sobre o complexo de elementos que o envolvem, e também pouco se sabe sobre quem são os sujeitos que estão diretamente envolvidos nele”, explica.

Abre a atividade, nesta segunda-feira (14), às 18h, a coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas de Antropologia do Direito e professora da USP, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer. Ela vai falar sobre a dramatização da vida no tribunal do júri. “Será um privilégio contar com a professora Ana Lúcia, uma das mais reconhecidas pesquisadoras do Tribunal do Júri no Brasil”, comenta Rivero.

Os demais encontros ocorrerão nos dias 28/9 – papel da investigação; 13/10 – acusação; 26/10 – defesa; 9/11 – juiz e 23/11 – oficiais de justiça no júri. De acordo com Rivero, os demais convidados são profissionais de Pelotas e que atuam desde investigação policial de crimes de homicídios até os serventuários da justiça. 

 Além do professor Rivero, também coordena a atividade a professora Marina Ghiggi. Ambos serão responsáveis pelas apresentações dos encontros que ocorrem sempre às 18h, pelo canal do curso de Direito no Youtube.  

Novas formas de aprendizado 

Responsáveis pelas disciplinas de Direito Penal e Processo Penal do curso de Direito, Marina e Rivero acreditam que as lives serão uma alternativa para aproximação dos alunos com os profissionais que atuam diretamente nos mais variados ramos do Direito que envolvem o Júri.

Na avaliação do docente, espaços de diálogo e trocas de experiências profissionais e de vida contribuem para a teoria das disciplinas e sua aplicabilidade. “Também auxilia na formação dos estudantes não só como profissionais, mas como cidadãos reflexivos e protagonistas em suas trajetórias”. 

Confira a programação completa: 

14/09 – Tribunal do Júri: dramatizações da vida através de complexos jogos narrativos – Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer (Advogada e Antropóloga, coordenadora do NADIR – Núcleo de Antropologia do Direito/USP)

28/09 – O papel da investigação preliminar – Félix Fernando Rafanhim (Delegado de Polícia Titular da DPHPP/Pelotas)

13/10 – A acusação –  José Olavo Bueno dos Passos (Promotor de Justiça aposentado – MPRS) e Ana Cláudia Lucas (Advogada Criminalista)

26/10 – A defesa – Maína Ribeiro Pech (Defensora Pública – DPERS) e Ana Cláudia Lucas (Advogada Criminalista)

09/11 – O juiz – Marcelo Malizia Cabral (Juiz de Direito – TJRS)

23/11 – A importância dos Oficiais de Justiça no Júri – Paula Mederos Rangel (Oficiala de Justiça – TJRS)

Redação: Rita Wicth – MTB 14101 

Crédito foto: Ministério Público RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *