fbpx

O auditório Dom Antônio Zattera, da Católica de Pelotas serviu como palco para a discussão de políticas públicas voltadas ao enfrentamento da fome e da miséria na atualidade. Promovida pela Assembleia Legislativa do Estado, o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Rio Grande do Sul (Consea-RS) e o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea), a Conferência Regional pela Soberania Alimentar ocorreu na quarta-feira (06).

Segundo a conselheira do Comsea, Cristine Ribeiro, o objetivo é que o documento construído a partir do encontro seja apresentado na Conferência Estadual pela Soberania Alimentar e contribua na construção de uma política estadual relacionada ao tema. “Para nós foi muito significativo porque os municípios reunidos com as suas organizações puderam pautar o direito à alimentação saudável e nutricionalmente adequada”, disse. 

Para o representante do Consea-RS, Juliano de Sá, o encontro não serviu apenas para a construção de um diagnóstico regional sobre a fome e a insegurança alimentar e nutricional. “Muito mais do que isso, tirar as diretrizes e as medidas para que a gente possa enfrentar isso com mobilização social, mas principalmente com políticas públicas”, explica.

Prevista para ocorrer nos dias 27 e 28 deste mês, a Conferência Estadual pela Soberania Alimentar será realizada em Porto Alegre.

A universidade no meio de uma discussão importante

Com a participação de representantes de 22 municípios situados na Costa Doce e no Litoral Sul, essa é a primeira vez que o evento é realizado em nível regional como destaca o professor do curso de Direito da Católica de Pelotas  e extensionista do Núcleo de Economia Solidária e Incubação de Cooperativas (Nesic), Tiago Nunes. “O evento foi sensacional, casa cheia. A UCPel é protagonista nesse processo e hoje podemos dizer que somos referência na discussão de soberania alimentar”, conta Nunes.

O pró-reitor acadêmico da UCPel Ezequiel Megiato participou da abertura do evento. Em sua fala, destacou a necessidade de discutir sobre o tema. “A universidade tem em sua missão a busca pelo desenvolvimento municipal e regional e por isso é muito importante receber essa atividade que tem tudo a ver com o que pensamos e buscamos enquanto instituição”, ressalta.

A mestranda do Programa de Pós-graduação em Política Social e Direitos Humanos da Católica de Pelotas (PPGPSDH/UCPel), Larissa Brito, demonstra preocupação com os dados atuais e a necessidade da realização da Conferência. “É um chamamento que neste momento se mostra urgente para discutir a volta do Brasil ao mapa da fome. Atualmente 33 milhões de pessoas passam por algum nível de insegurança alimentar”, explica.

Redação: Kauã Blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *